Terrorismo Atentado Maratona de Boston

Publicado em junho 28th, 2014 | by Bernardo Guerra Lobão

Maratona de Boston: Terrorismo volta a Mídia Internacional

Impacto causado pelo atentado a Maratona de Boston: Terrorismo volta a Mídia Internacional.

Ao colocar uma noticia de atentado terrorista no ar dentro dos Estados Unidos, deve ser cauteloso, pois qualquer ataque dentro da fronteira do país pode ser considerado afronta, retoma um sentimento de repudio e pode iniciar um real conflito. Diante do cenário instável da possível guerra entre as duas Coréias, o ataque de Boston acaba tornando todo o mundo apreensivo quanto à posição dos Estados Unidos como hegemonia, e qual posição este pode tomar.

Tratar de uma situação de atentado terrorista em um evento internacional recorre aos Estados Unidos apontarem sempre aos seus principais inimigos, que são os terroristas islâmicos, mas ao ver novamente todo o histórico de terrorismo islâmico, o atentado direciona para um problema comum dentre os americanos, que é o conflito de ideologias. Pode ser contra o presidente Obama, ou contra por motivo psicossocial, causado por remeter fatos históricos. Identificar os alvos como dois irmãos chechenos, pode remeter a várias causas, e na primeira tentativa de caçada, matar o suspeito, deixa toda a dúvida no ar. Não deixa dúvida que foi um ataque muito amador.[1]

De qualquer forma o terrorismo internacional volta a tona com diversas perguntas ao futuro, como por exemplo, se o Brasil estará apto a receber eventos maiores que ocorrerão?

Contudo diversas razões podem ser analisadas, como por exemplo, a emancipação da população no contexto global, o que antes era próprio de um Estado, hoje em dia o conceito sociedade civil global mostra que as barreiras foram quebradas. Pode se dizer um conceito pós-marxista utópico de redistribuição de poder. [2]

“Assim inicia um novo modelo de conflito, este modelo demonstra que as organizações que podem modificar um sistema estão atuando na rede”

Assim inicia um novo modelo de conflito, este modelo demonstra que as organizações que podem modificar um sistema estão atuando na rede, desde a aprendizagem ate a forma de agir, confunde o que são atores públicos e privados, não sendo mais uma qualidade apenas do agente publico.[3]

Essa necessidade de estar dentro de um contexto social, associado à facilidade de obtenção de informação, faz com que indivíduos ajam contra outras pessoas, apenas por uma necessidade de espaço. Não se sabe o que levou os dois irmãos a fazerem isso, mas pode se tratar de conflitos étnicos, levados a uma alienação ou a própria anomia, sem valores culturais e gerando o conflito e a necessidade de obter respeito. Mostrando que a coerção cultural norte americana é ineficaz quanto a aceitação.[4]

Como exemplo de anomia, voltamos a abril de 2007 quando o estudante coreano Seung-Hui Cho maquinou um atentado dentro de sua escola, bem estruturado por sinal, que terminou com 32 mortos e 17 feridos. No vídeo em que conta que sofrera discriminação dos estudantes e queria servir de exemplo para próximas gerações e pessoas que também sofrem bullying.[5]

Embora não caiba decidir o motivo pelos quais os irmãos Dzhokhar e Tamerlan Tsarnev fizeram o atentado, pode haver similaridade dos motivos os quais levaram. Buscando na história da Chechênia, que foi invadida por russos. Durante a infância dos dois iramos a Chechêniavivia sob a forte tensão da invasão. Os irmãos declarados islâmicos nas redes sociais diziam querer inspirar o mundo contra inimigos de sua nação, já buscando explicação de uma suposta união dos EUA com a Rússia contra a Chechênia. Estas especulações e afirmações demonstram demasiada inconstância, criando novos inimigos dentro de um contexto histórico que cabia apenas a eles dois.[6]

De fato a desculpa usada por Dzhokhar que o motivo que levou seu irmão Tamerlan a praticar o atentado foi superficial, em que ele tomou a causa das guerras contra o Afeganistão e contra o Iraque para motivar o atentado, já que demonstra inimizade dos Americanos contra o Islã.

“essa síndrome de Heróstrato demonstrada pelos constantes assassinos, terroristas solitários demonstram sua falta de inserção social, anomia, alienação, desejo por causar um alarde público”

 

Cabe analisar dois pontos:

 

  1. Motivos psicossociais;
  2. Motivos Políticos.

 

Deste pressuposto, essa síndrome de Heróstrato demonstrada pelos constantes assassinos, terroristas solitários[7] demonstram sua falta de inserção social, anomia, alienação, desejo por causar um alarde publico. Nos exemplos dentro dos Estados Unidos, o terrorista conhecido como Unabomber, Theodore John Kazincsky, possuía motivos políticos e tratava de alienação social.

Assim como Unabomber, Timothy Mc Veigh destruiu o prédio em Oklahoma também não teve ajuda de membros de nenhum grupo, trabalhando sozinho e ganhando notoriedade dentro do grupo a qual pertencia. [8]

Assim pode se dizer que os dois irmãos chechenos tem interesse político, o que causou seus motivos a recorrerem de maneira extrema a chamarem a atenção para si próprios e a um problema, se tornando mártires de determinado assunto.

Como o atentado de Boston, o principal mentor do crime, Tamerlan, agiu sozinho, convencendo o irmão mais novo a agir junto a ele, sem ajuda de nenhum grupo extremista ou governo estrangeiro[9], ação esta que gera cooperação entre os dois estados principais inimigos de sua ideologia a agirem junto, já que ainda a Rússia tem questões regionais com chechenos.[10]

 

Lobby da indústria de armas

A indústria bélica é muito forte nos EUA, e como a facilidade de comprar arma nos EUA é algo muito debatido, devido exatamente a estes fatos, como os tiroteios nas escolas principalmente, a indústria de arma trabalha sempre buscando soluções para seu problema, que é o dos ativistas contra o armamento.

Baseado nestas afirmativas pode-se desviar a atenção da Coreia do Norte, já que foi demonstrado que dentro dos EUA pode existir um inimigo público / político. Este fato em si faz com que ganhe força às instituições que buscam reafirmar a necessidade de que todo cidadão deve possuir arma, fazendo com que a indústria bélica, que é uma das que mais geram economia, se fortifique.

[1]http://www.myfoxatlanta.com/video?autoStart=true&topVideoCatNo=default&clipId=8780618&goback=%2Egde_2522879_member_233224784

[2] KALDOR, M. Global Civil Society. P. 1 et seq.

[3] KALDOR, M. Ibdem.

[4] MACHADO, G. M. Anomia e Alienação Social. http://www.infoescola.com/sociologia/anomia-e-alienacao-social/

[5] “Gracas a voces eu morro como Jesus Cristo, servido de inspiracao para os fracos e oprimidos” – CHO Seung-Hui.

[6] http://noticias.terra.com.br/mundo/estados-unidos/suspeitos-de-atentado-de-boston-trazem-eco-de-violencia-na-chechenia,7ff413b261e1e310VgnCLD2000000dc6eb0aRCRD.html

[7] Lone Wolf Terrorist, termo comum utilizado para designer um ator terroristas que age em prol de um grupo, motivado por sua política, carisma, mas não atua dentro de um grupo, planejando e fazendo sozinho todo o atentado.

[8] BOROWITZ, A. Terrorism for Self-Glorification – The Herostratos Syndrome.

[9] http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2013/04/acusado-do-atentado-em-boston-nega-que-tenham-recebido-ajuda.html

[10] http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/04/130420_boston_viagem_russia_jp.shtml

Tags:


Editorial

Bernardo Guerra Lobão

, Analista de Relações Internacionais, Especialista em Política e Estratégia e Educação Corporativa. Consultoria: cegtebr@gmail.com.




Voltar ao topo ↑

  • Enquetes

    O que você gostaria de encontrar neste site?

    Ver resultados

    Carregando ... Carregando ...
  • Parceiros