Artigos

Publicado em agosto 14th, 2017 | by Adenilson Campos Guedes

Você sabe o que é Segurança Empresarial?

Dentro do universo da segurança, sobretudo no âmbito empresarial, o termo segurança gera algumas confusões em relação à sua abrangência ou competências profissionais. Daí surgem diversas variações, tais como: segurança do trabalho, segurança patrimonial, vigilância patrimonial, segurança privada, segurança pública, segurança da informação, segurança eletrônica, etc. Vejam, todos convergem para um único objetivo: proteger de alguma forma os ativos (tangíveis e intangíveis). Sendo assim, podemos dizer então que segurança é igual em todos os aspectos? Podemos dizer que a segurança patrimonial faz parte da segurança do trabalho e vice versa? E quanto à segurança empresarial, qual a sua definição?

O tema segurança abrange diversas ramificações e por isso, envolve vários setores de uma organização no que tange à proteção de pessoas e bens. Neste sentido, a proteção dos seus ativos tangíveis e intangíveis envolve a adoção de medidas preventivas, proativas e, às vezes até repressivas. Destarte, considerando que os ativos a serem protegidos passam por diversas áreas, é necessário cuidar dos aspectos relacionados à prevenção de acidentes, riscos de incêndio, saúde do trabalhador e ainda, cuidar da segurança das informações e do patrimônio. Dentro deste contexto, surge à segurança empresarial que é o objeto de análise deste estudo.

 

O que é Segurança Empresarial?

Existem diversos conceitos sobre o assunto, porém uma definição que traduz bem o que significa segurança empresarial é a de (MINA, 2000, p. 150), definindo-a como conjunto de medidas de prevenção e de execução que visa assegurar a integridade física e moral das pessoas e a proteção do patrimônio da empresa, eliminando e reduzindo os riscos, presentes e potenciais.

 

“Conjunto de medidas de prevenção e de execução que visa assegurar a integridade física e moral das pessoas e a proteção do patrimônio da empresa, eliminando e reduzindo os riscos, presentes e potenciais.

Analisando este conceito, podemos dizer que a segurança empresarial envolve outras ramificações, tais como: Segurança contra incêndio, segurança contra roubos e ainda, proteção contra espionagem, sequestros de empresários, proteção contra greves, proteção para evitar sabotagem, entre outros. Neste sentido, é possível destacar ainda alguns dos princípios básicos norteadores da segurança empresarial, a saber:

a) segurança é prevenção – algo dinâmico que precisa ser constantemente estudado; necessidade de treinamentos constantes.
b) O investimento em segurança empresarial é proporcional ao risco que se corre e as medidas de segurança não devem impedir ou dificultar a atividade normal da empresa. O nível de proteção deve ser de acordo o tipo de ativo a ser protegido, bem como o grau de riscos ao qual está exposto.

Para Carlos Paiva (2016), a Segurança Empresarial ou Organizacional, possui subsistemas, tais como: segurança eletrônica, segurança física, segurança de instalações, vigilância, proteção contra incêndios, segurança do patrimônio, segurança ocupacional, segurança de dados e registros, segurança documental e outras formas setoriais voltadas para o escopo central da segurança organizacional. Estes modos se interligam ou acoplam-se na “política de segurança da organização” que define estruturas, meios e formas operativas para a segurança no contexto da organização.

Ainda explorando o conceito de segurança empresarial, a ABSEG e a ADESG-SP, certificam os profissionais de segurança com o título profissional de Analista de Segurança Empresarial. Já no manual de certificação editado por estas associações, na versão 8.0, em janeiro de 2010, encontra-se a “definição de termos”, com o destaque para “segurança empresarial”, definindo-a como: Atividade que tem por objetivo a proteção de pessoas e ativos, tangíveis e intangíveis, e a prevenção de perdas, com base em análise de riscos e com o emprego de recursos humanos, tecnológicos e gerenciais para sua mitigação, observada a melhor relação entre custos e benefícios (ABSEG, 2010, p.7).

 

“Atividade que tem por objetivo a proteção de pessoas e ativos, tangíveis e intangíveis, e a prevenção de perdas, com base em análise de riscos e com o emprego de recursos humanos, tecnológicos e gerenciais para sua mitigação, observada a melhor relação entre custos e benefícios.

 

A Segurança Empresarial na obra de Fayor

Jules Henri Fayol, um dos criadores da Teoria clássica da administração, através da sua obra Teoria Anatômica da Administração (1916) [carece de fontes]: cita que “A função segurança tem a missão de proteger os bens e as pessoas contra o roubo, o incêndio, a inundação, evitar as greves, os atentados e, em geral, todos os obstáculos de ordem social que possam comprometer o progresso e mesmo a vida da empresa”. Notem que esta definição converge perfeitamente para o conceito de segurança empresarial atual ratificando ainda a sua abrangência em relação às demais variações.

 

“A função segurança tem a missão de proteger os bens e as pessoas contra o roubo, o incêndio, a inundação, evitar as greves, os atentados e, em geral, todos os obstáculos de ordem social que possam comprometer o progresso e mesmo a vida da empresa.

 

Segurança Empresarial e Segurança Patrimonial. Qual a diferença?

MARCONDES (2015) cita que “muitos gestores de segurança não gostam de utilizar o termo Segurança Patrimonial, por considerar que esta terminologia não valoriza muito o setor dentro da empresa e preferem utilizar a terminologia Segurança Empresarial”. Evidentemente que existem diferenças entre ambos, pois o primeiro trata da segurança de forma ampla e, portanto, engloba todos os aspectos de segurança no âmbito das organizações. Já a segurança patrimonial refere-se à proteção do patrimônio da empresa, tais como: proteção contra furtos, roubos e outros danos relacionados aos bens tangíveis da empresa, incluindo a segurança pessoal de seus colaboradores.

“A segurança patrimonial protege, então, todos os interesses da organização no que se refere aos recursos financeiros existentes, a seu patrimônio físico (representado por instalações, estoques, equipamentos, veículos e assim por diante) e também a seus recursos humanos” (ASTER, 2016).

“A segurança patrimonial protege, então, todos os interesses da organização no que se refere aos recursos financeiros existentes, a seu patrimônio físico (representado por instalações, estoques, equipamentos, veículos e assim por diante) e também a seus recursos humanos.

 

Profissional de Segurança Empresarial

Segundo Brunir (2006, p. xiv), “o objetivo principal da segurança, é prevenir e deter”. Isso parece um objetivo simples, mas tal ação demanda um grande esforço por parte de profissionais responsáveis pela segurança em ambientes empresariais. Dentro deste enfoque, surge a seguinte questão: Quem é o profissional que atua no segmento de segurança empresarial?

Em relação aos cargos relacionados à segurança empresarial nas empresas, existem diversas nomenclaturas, tais como: Gestor de Riscos, Gestor de Perdas, Gestor de Segurança, Gestor de Segurança Empresarial, Gestor de Segurança Privada, Gerente de Operações, Gestor de Segurança Corporativa, Coordenador de Segurança Patrimonial, Analista de Riscos, Analista de segurança da informação, etc.

O Código Brasileiro de Ocupações – CBO, traz a função de Gestor em Segurança (CBO nº 2526-05). De acordo a descrição do cargo, o Gestor em Segurança tem como função:

  • Gerenciar as atividades de segurança em geral.
  • Elaborar planos e políticas de segurança.
  • Realizar análises de riscos
  • Adotar medidas preventivas e corretivas para proteger vidas, o patrimônio e restaurar as atividades normais de empresas.
  • Administrar equipes
  • Coordenar serviços de inteligência empresarial e prestar consultoria e assessoria.

Ainda de acordo o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), para o exercício da função é necessário formação e experiência, ou seja, para o pleno exercício da função é necessário graduação tecnológica em segurança privada/empresarial ou curso superior em outra área mais o curso de especialização em segurança e experiência profissional de pelo menos um ano.

 

Conclusão

É consenso que segurança significa proteger, livrar do perigo ou algo do tipo, no entanto, no que tange à segurança empresarial, conforme mencionado anteriormente existem algumas confusões sobre o que realmente significa e qual é a sua abrangência, principalmente, para quem não é um profissional desse segmento. Destarte, a partir da análise de alguns conceitos acima, foi possível perceber que o termo trata da segurança de forma macro, ou seja, envolvendo todas as ramificações no âmbito empresarial.

Nota-se ainda que, diferentemente do que muitos pensam, a segurança patrimonial faz parte de uma das ramificações da segurança empresarial, portanto, não é a mesma coisa. É possível notar ainda que a segurança da informação, e até a segurança do trabalho, também faz parte do universo da segurança empresarial, mesmo que em algumas organizações, estas áreas estejam desvinculadas no organograma organizacional.

Já em relação às nomenclaturas dos cargos/funções, é possível perceber também que existem diversas variações, no entanto, o Ministério do Trabalho e Emprego já reconhece o cargo Gestor em Segurança.

Quanto ao mercado de trabalho e suas exigências em relação ao gestor que deve atuar neste segmento, há variações de acordo cada organização, porém, a maioria já exige nível superior com pós-graduação, além da experiência, é claro.

 

REFERÊNCIAS

FAYOL, H. Administração Industrial e Geral: previsão, organização, comando, coordenação e controle. São Paulo: Atlas, 1990.
MORETTI, Cláudio dos Santos. A necessidade de segurança, 2016. Disponível em:<http://www.administradores.com.br/artigos/cotidiano/a-necessidade-de-seguranca/100426/>. Acesso em: 11de ago. 2017.
NETO, Felipe Sabino de Araújo. A Lei Bíblica e a Autodefesa, 2005. Disponível em:< http://www.monergismo.com/textos/etica_crista/lei_biblica_autodefesa_einwechter.ht/>100426/>. Acesso em: 11de ago. 2017.
PAIVA, Carlos. Segurança Organizacional, 2016. Disponível em https://pt.wikipedia.org/wiki/Seguran%C3%A7a_organizacional/>. Acesso em: 11de ago. 2017.
MARCONDES, José Sérgio. Segurança Patrimonial: Conceitos, Definições, O que faz, O que é, 2015. Disponível em <http://www.gestaodesegurancaprivada.com.br/seguranca-patrimonial-conceitos/>. Acesso em: 11de ago. 2017.
ASTER. Tudo sobre segurança patrimonial. Disponível em: <http://www.aster.com.br/blog/seguranca-patrimonial/tudo-sobre-seguranca-patrimonial/> Acesso em: 11 ago. 2017.
GIL, Antonio de Loureiro. Segurança Empresarial e Patrimonial. São Paulo: Atlas, 1995.
MANDARINI, Marcos. Segurança Corporativa Estratégica. São Paulo: Manole, 2006.

 

 

E você? Conhece outra variação em relação às funções gerenciais na segurança empresarial ou gostaria de fazer algum comentário a respeito do tema? Escreva seus comentários logo abaixo do site.

Tags: , , , , , ,


Editorial

é graduado em Gestão de Segurança Empresarial, possui Especialização em Consultoria Empresarial com Ênfase em Segurança Corporativa. Pós graduando em Gestão Política e Planejamento Estratégico pela Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra – ADESG-BA. É idealizador e responsável pelo site www.de-seguranca.com.br.




Voltar ao topo ↑
  • Enquetes

    O que você gostaria de encontrar neste site?

    Ver resultados

    Carregando ... Carregando ...
  • Parceiros